3ª edição do TRE-CE Solidário contempla sete instituições

A campanha continua levando esperança e solidariedade às comunidades afetadas pela pandemia do coronavírus

3ª edição do TRE-CE Solidário contempla sete instituições

O TRE Solidário está agora em sua terceira edição, levando esperança e solidariedade às comunidades afetadas pela pandemia do coronavírus. Para esta fase, a campanha arrecadou o total de R$ 23,4 mil, que resultou na confecção de 360 cestas básicas para sete instituições. As entregas foram realizadas neste mês de setembro.

Com a ampliação de instituições, o projeto apresenta assim um leque ainda mais diversificado de beneficiados. São contemplados, nesta edição, egressos de penitenciárias, mulheres negras da periferia em situação de vulnerabilidade extrema, moradores de rua, pacientes, artistas de circo, dependentes químicos e pessoas, dentre adultos e crianças, portadoras do HIV ou que convivem com o vírus. O TRE Solidário consegue, deste modo, alcançar mais famílias que têm vivido situações de vulnerabilidade no período da pandemia.

Casa da Sopa

Nessa terça-feira, 8/9, o TRE-CE acompanhou a entrega de cestas pelo Grupo Espírita Casa da Sopa às famílias da comunidade Morro do Ouro, no bairro Jacarecanga. A entidade foi uma das beneficiadas pelas doações do Tribunal, com a distribuição de 100 cestas básicas e kits de higiene e limpeza para cerca de 220 famílias desassistidas na periferia de Fortaleza e Região Metropolitana, bem como para as famílias necessitadas no interior, conforme critérios da instituição.

Leonardo Rodrigues, diretor da Casa da Sopa, define os princípios que movem a organização: “Desde o início, este trabalho foi se formando em torno da assistência social, da preocupação com os direitos humanos, da participação em construção de políticas públicas com o foco na proteção das pessoas em situação de rua; além disso, a fraternidade e espiritualidade são os valores que orientam nosso trabalho”.

Segundo o gestor, a Casa da Sopa passou a migrar da atuação no campo das ruas para a ação comunitária, fazendo um “percurso de retorno às comunidades”. Para isso, a instituição busca sempre criar redes de apoio em diversos lugares, a fim de garantir a readaptação das pessoas à vida social e os direitos básicos à vida de todo cidadão. “Essas redes  têm favorecido a atuação dentro do campo da saúde, do direito, da política, da espiritualidade, no segmento mais amplo possível. Significa que é a Casa da Sopa fazendo, mas fazendo com a rede”. 

Leonardo também destaca que a instituição busca tratar com cada pessoa alcançada como parceiros e não assistidos, uma vez que o trabalho da instituição consiste num ato de parceria, pois envolve ação da Casa, da pessoa envolvida e da comunidade.

Sobre a contribuição do Tribunal, ele destaca: “veio para somar dentro do contexto de redes, pois a gente não faz essas ações de forma isolada, nós contamos com os parceiros, pois o momento exige a soma de esforços”, finaliza. Um dos parceiros da instituição é a Escolinha do Saber, situada na comunidade Morro do Ouro, que oferece assistência na educação dos moradores.

A Casa da Sopa completou 25 anos de fundação no último mês. O projeto começou na casa da “Tia Laura”, como era chamada a dona do espaço, localizado na Rua Solon Pinheiro, onde a Casa da Sopa nasceu. Ali ela conduzia as atividades de preparo de alimentos até a acolhida dos parceiros. Atualmente, a sede da instituição fica na Rua Assunção, no Centro de Fortaleza. Parte das cestas doadas foram distribuídas também a famílias do interior do Ceará. 

TRE Solidário

A campanha surgiu por iniciativa da Ouvidoria do tribunal, com o intuito de incentivar servidores, magistrados e promotores eleitorais a efetuar doações voluntárias para aquisição de gêneros de alimentação e higiene a serem distribuídos a pessoas carentes e necessitadas, durante o período da pandemia. No total, oito entidades já foram beneficiadas pela entrega de 800 cestas básicas. Na edição atual, sete entidades começam a receber as doações, mediante monitoramento da comissão responsável.

A campanha foi instituída pela Resolução TRE-CE nº 766/2020 e lançada em sessão plenária, em 12 de maio de 2020. Para o presidente do TRE, desembargador Haroldo Correia de Oliveira Máximo, o momento é propício para fortalecer atos de amor ao próximo. “Precisamos unir esforços neste momento tão difícil para muitas famílias e levar até elas um pouco de esperança por meio deste olhar do TRE. Encontramos uma maneira de alcançar estas pessoas que estão em isolamento, levando aquilo que elas mais precisam: amor na forma de auxílio às suas necessidades”, enfatizou.

Arrecadação

Com a finalidade de operacionalizar as aquisições, foi celebrado convênio entre o TRE-CE e a Associação de servidores da Justiça Eleitoral do Ceará (AJE). A arrecadação ficou definida da seguinte forma: magistrados e promotores doariam 3% da gratificação eleitoral, e servidores, 10% do auxílio-alimentação. As doações foram descontadas em folha de pagamento, mediante autorização prévia. Além das doações pelos servidores e magistrados, a campanha também arrecadou valores por meio de transferências bancárias para a AJE.

Comissão

A Portaria TRE-CE nº 303/2020 estabeleceu comissão para elaborar o portfólio das cestas básicas; proceder com a pesquisa de preços; verificar o recebimento das notas fiscais; sugerir quais instituições serão beneficiadas e garantir os procedimentos necessários à entrega das cestas. A comissão é coordenada por Águeda Odete Gurgel e composta por Jarbas Marinho Lopes, Letícia Passos Priante, Maria Lourdes Freitas, Rivana Pinto de Azevedo, Roberta Martins Castro e Juliana Costa Barboza.

O que contém nas cestas?

Foi definido o portfólio de produtos listados abaixo:

- 4 Kg de arroz parboilizado; 2 Kg de feijão; 2 Kg de açúcar branco; 250g de café; 400g de leite em pó integral; 1 óleo de soja (900 ml); 2 pacotes de macarrão espaguete; 2 pacotes de flocão; 2 latas de sardinha em óleo; 1 margarina (500g); 1 pacote de biscoito cream cracker; 2 litros de água sanitária (hipoclorito a 2,5%); 1 Kg de sabão em barra e 4 rolos de papel higiênico.

A Comissão decidiu por manter o mesmo fornecedor da primeira e segunda edições, adotando novamente o critério de menor preço, auferindo-se uma redução no valor unitário da cesta.

Instituições atendidas

Devido à quantidade de cestas básicas adquiridas e mediante extensa lista de sugestões de beneficiários, a Comissão resolveu assistir a sete instituições, que, por sua vez, ficam responsáveis por distribuir as doações para as famílias atendidas por elas. As entidades selecionadas nesta terceira edição do TRE Solidário são:

  • Casa da Sopa - 100 cestas básicas;

  • Serviço de Assistência Domiciliar do Hospital Waldemar Alcântara (SAD) - 100;

  • Associação Proprietários Artistas e Escolas Circo Ceará (APAECE) - 60;

  • Instituto de Transformação e Reintegração do Ceará (Coletivo Intra) - 50;

  • Inegra - 25;

  • Associação Comunidade Terapêutica Grão de Mostarda - 15;

  • Casa do Sol Nascente - 10.

 

Texto: Mariane Lopes, jornalista da ASCOM

 

#PraTodosVerem Banner na horizontal com uma fotografia. Nela, o diretor da instituição vestido com uma blusa branca com a logo da Casa da Sopa e usando máscara branca entrega uma cesta básica a um homem vestido com blusa preta e usando máscara branca. No canto inferior direito, dentro de um retângulo azul, o título TRE Solidário, na cor azul-marinho, em letra cursiva. Abaixo, na mesma cor, o nome Casa da Sopa.

Últimas notícias postadas

Recentes